Os starters são o meu propósito

Dedico-me a estes caras que estão muito a fim de empreender algo real na sua vida que terá impacto positivo na vida dos outros. Estes que chamo starters.

Você é um daqueles que não consegue deixar de enxergar negócios? Senta para almoçar e fica analisando o processo do restaurante, as oportunidades não aproveitadas, o valor potencial? Eu sou assim. Quando isso começou, eu rascunhava o plano. Mas no caminho já surgia uma nova ideia, outra oportunidade. E quase sempre isso resultava em angústia diante de empresas que morreriam sem terem nascido.

Certo dia conheci um cara com a mesma mania. Ele me mostrou o registro de centenas de ideias, muitas já patenteadas, outras em planejamento, mas nenhuma realmente acontecendo na prática, ajudando alguém ou lhe rendendo dinheiro. Entendi que lá dentro algo lhe dizia: “ok, está aí já está criada. Parta para a próxima ideia!”. Sua euforia com negócios hipotéticos lhe bastava, especialmente porque ele não correria o risco de falir.

Aí está! Ideias são abundantes e não custam nada. Quanto maior o detalhamento de uma ideia, maior a probabilidade de ela não acontecer. Negócios podem jamais sair do papel, só porque já aconteceram na tua cabeça.

Num empreendimento, a ideia é menos importante do que a forma e intensidade com que você executa, coloca na prática, assumindo o risco de não dar certo.

Hoje vejo muitos negócios cuja abordagem é mais ou menos assim: o cara se coça para resolver o seu próprio problema. Um produto, um aplicativo, um serviço que vai deixar as coisas melhores para ele mesmo (e para outras pessoas, por consequência). Para a estruturação de negócios rápidos a tecnologia já está por aí, dominada: canvas, design thinking, testes AB, inbound marketing…

No meu trabalho o foco de interesse é saber onde está a paixão, o interesse muito íntimo pelo que se está propondo fazer ou fazendo. Essa é a real. Você nem precisa de uma ótima ideia. Você precisa de um propósito intenso.

Quando entendi isso, a minha própria centena de negócios hipotéticos não se mostrou em vão. Antes de detalhar ideias, agora eu ajudo meus clientes a visualizar e consolidar propósitos. Empresto minha experiência para apoiar decisões e dissipar obstáculos. Dedico-me a estes caras que estão muito a fim de empreender algo real na sua vida e que terá impacto positivo na vida dos outros. Estes que chamo starters.

Eu mesmo pratiquei a hipótese e acabei encontrando um propósito no negócio, enfim.

Receber Atualizações

Empreender por necessidade. Qual é a real?

Reportagem da

Um computador prevê quais empresas serão bem-sucedidas

Foi solicitado para um computador a previsão de quais as novas empresas que seriam bem-sucedidas. Os resultados for...

Receba os próximos posts no seu e-mail
Obrigado!